2 meses no Canadá!

Olááá!!

Ontem completei dois meses vivendo no Canadá. E como ja havia prometido, hoje farei uma pequena restrospectiva deste segundo mês e, é claro, contarei o que mais aprendi desde o post em comemoração ao primeiro mês!
Para iniciar a conversa, estou AMANDO este país. E a cada dia que passa a sensação de estar numa cidade completamente diferente vai se tornando mais amena. Ainda sinto falta de encontrar carrinhos vendendo água de coco, mas estou me virando bem com os chás, cafés e hot chocolates…As cafeterias são uma tentação! 🙂
Aliás, o calor já chegou com tudo! E para os que continuam me perguntando como está o frio em Toronto, hoje fez 33 graus! Portanto, podem mudar a pergunta para: “Tem aproveitado o sol??”
Tivemos um feriado no dia 21, quando se comemora o Victoria Day, celebrado todos os anos na última segunda-feira antes do dia 25 de maio, em honra ao aniversário da rainha Vitoria, do Reino Unido. Houve queima de fogos na praia e na ilha e muita gente aproveitou para viajar.
Enfim, está tudo muito bem, obrigada! Fora a saudade da família e dos amigos, poderia dizer que está perfeito!
E conforme prometido, vou fazer mais uma listinha das dez coisas que aprendi neste mês! Não é algo que eu possa prometer fazer todos os meses, mas enquanto eu tiver o que compartilhar, farei! 😉

Vamos lá!

1. Tente manter a linha em alguns “nightclubs”, os seguranças podem te colocar para fora ao perceberem que está dando vexame
Pois é, isso realmente acontece e eu já presenciei. Uma garota estava na fila do banheiro e nem estava dando vexame, mas pelas câmeras os seguranças perceberam que ela estava bêbada. Em um minuto chegou um segurança e expulsou ela (e as amigas) da festa. Claro que isso pode variar de lugar para lugar, mas perguntei a um amigo canadense e ele me disse que isto é comum aqui porque se algo acontecer com a pessoa bêbada, mesmo após ela sair do local, o estabelecimento pode ser acusado de ter vendido bebidas acima do limite. Inclusive até os taxistas ficam com receio de pegar passageiros muito bêbados.

2. Nas festas, bebidas alcóolicas somente são vendidas até 1h30
Algumas vezes você vai ter sorte de conseguir comprar ate às 2h. Depois disso, nem pagando o triplo por uma garrafa de cerveja. Os canadenses são bem corretos com relação às leis.
Por este motivo os “esquentas” ou “esquentes” são bem comuns aqui. Todo mundo se reúne na casa de alguém (que não more em homestay, of course) para beber algo e já chegar na festa com um bom nível etílico.

3. Continuando nas bebidas, elas só são vendidas em lojas especializadas, nada de supermercado e conveniências
LCBO é a loja mais famosa. Ah, e tenha sempre em mãos um documento de identificação, porque você é obrigado a mostrar.

20120528-223642.jpg

4. Mudando do álcool para a água, as pessoas têm o costume de beber águas das torneiras
Isso mesmo. Além de ser super comum, você pode pedir em qualquer lugar, eles são obrigados a te dar um copo d’água sem cobrar nada. Existem até campanhas contra as águas engarrafadas, pois muitos defendem que não passa de uma estratégia dos fabricantes para vender um produto que é do nosso direito e encontrado com facilidade aqui no Canadá. Além disso, eles alegam que a água da torneira é saudável e que não existe diferença significativa de impurezas com relação às garrafas. Assisti a um documentário muito legal sobre este tema, chamado “Blue Gold: World Water Wars”. Recomendo!

20120528-230211.jpg

5. Mc Donald’s não vende Cheddar e nem Big Tasty!
Esteja preparado para escolher outras opções caso a sua preferência sempre foi um destes dois sanduiches! Mas eles vendem quarteirão, big mac e outros tão gordos, ops, gostosos, quanto! Ah, e eles aqui possuem aquele mesmo sistema de refil de bebidas adotado pelo Burger King! 😉

20120528-223803.jpg

6. Academias de ginástica não oferecem instrutores
Tinha que colocar isso logo depois do papo do Mc Donald’s para ver se paro de pensar em coisinhas gostosas… Hehehe
Pois é. Diferente do Brasil, onde a gente se matricula nas academias e logo é apresentado a um instrutor que fará a sua ficha e será o responsável por te ajudar dali em diante, aqui a história é bem diferente. Para ter ajuda você terá que pagar um “coach” ou seja, personal. Ou então você fará os seus exercícios sozinho (a), com direito a pagar mil micos por não saber mexer na altura de alguns aparelhos ou por não compreender o porque a esteira é mais rápida do que no Brasil. Ah, mas relaxa, se você está lendo esse post não terá esta dúvida por vários dias, como eu tive. As esteiras estão reguladas em milhas/h e não Km/h. Rá! E eu achando que o meu desempenho na corrida era que estava horrível…

7. Roupas de ginástica são horríveis aqui, ou muito caras, traga as suas do Brasil
A não ser que você queira deixar o estilo de lado na hora de treinar (como eu ja deixei), é bom trazer as blusas, calças, shorts e macacões (para as mulheres, claro). Aqui não tem calças de suplex com um preço bom. O tecido é estranho. Ou então você vai ter que comprar nas lojas da Nike, Adidas, e pagar um precinho mais salgado.

8. Cuidado com as conversas em público: SEMPRE tem um brasileiro por perto
Já vivi a situação dos dois lados. Falando besteiras e só depois de muito tempo perceber que tinha um brasileiro ouvindo, e já sentei ao lado de dois brasileiros que nem perceberam que eu estava ali enquanto eles comentavam que a menina que um deles estava “pegando” era do tipo que você faz sexo e não precisa ficar de mãos dadas na escola. E que enquanto ele transava com uma garota, tinha a outra, que ele gostava muito mas que era um camarão, a cabeça não prestava para nada… E essa foi a parte leve da conversa. Na mais pesada, censurada aqui, eu não aguentei e comecei a rir. Imagina como eles ficaram quando perceberam… Hahaha

9. Salão de beleza é lenda durante o intercâmbio
Meninas, façam já um curso de manicure, pedicure, depilação, tintura e corte de cabelos. Caso tenha problemas em usar a gillette e não saiba fazer a própria depilação, esteja preparada para: a) Pagar 36 dólares para depilar a virilha (quase 80 reais!!!!)
b) Virar adepta do estilo Claudia Ohana.
c) Cobrir as axilas e as pernas (bom é que se usar burca ninguém vai te perturbar. Tem tanta árabe por aqui mesmo).
Ou então você se envolve em algum movimento feminista, e existem muitos espalhados por aqui, e ai vai ser feliz do jeitinho que a natureza te criou.

Segue uma listinha com o preço médio dos serviços em salões:

20120528-224257.jpg

10. As canadenses adoram cabelos e unhas esquisitas
Você vai se espantar com a quantidade de coisas estranhas que irá encontrar por aqui. Perto do estilo de algumas canadenses, o cabelo do Neymar é muito normalzinho. Elas colocam apliques H-O-R-R-O-R-O-S-O-S na franja, no topo da cabeça, na nuca..Eu não sei o que acontece, sinceramente. Mas como gosto é igual a braço…
As unhas são gigantescas, feitas de porcelana, plástico, acrílico, pintadas de cores chamativas e desenhos grotescos…Mas são tão feias, tão feias, que Zé do Caixão estava no lucro!

20120528-223917.jpg

Pronto! Já contei mais dez coisas que observei e aprendi aqui em Toronto. Umas mais legais, outras nem tanto e ainda algumas um tanto quanto esquisitas. Mas é ai que está toda a diversão do intercâmbio, perceber o inusitado e conviver com as diferenças!

Até o próximo post!

Beijo beijo,

Aritta.

Anúncios

Chegou a hora de fazer a mala! O que trazer e o que não trazer para Toronto

Olá pessoal!!

Finalmente descobri como configurar meu teclado para o português, mas ainda assim não sei como usar alguns recursos. Só em conseguir colocar os acentos básicos e não ficar parecendo que esqueci o bom e velho português, já tá valendo!

Quase dois meses em Toronto! Daqui a uns dias farei outro post sobre o que aprendi neste período. Hoje vou tentar ajudar as pessoas com dúvidas sobre o que trazer na mala ao vir para o Canadá.

20120526-120003.jpg

Para começar, deve-se pensar nas estações que você irá pegar aqui na cidade. Eu, por exemplo, cheguei na primavera e não tenho muito a falar sobre o inverno, mas darei algumas dicas que servirão para todas as épocas. Também temos que levar em consideração o tempo de intercâmbio…

Quando comecei a fazer a minha mala ouvi de muita gente “Leve pouca coisa, você pode comprar roupas lá”! E confesso que discordo dessa frase em partes. Primeiro: achava que minhas roupas não serviriam para o Canadá e que eu não usaria o que estou acostumada a usar no Brasil. Estava errada. Aqui você usa absolutamente tudo. Hoje me arrependo pois deixei muita coisa bacana que eu poderia ter trazido.

Vamos às dicas:

Roupas para o frio

  • Traga um bom casaco. A temperatura é bem maluca e quando a noite chega, mesmo nos dias mais quentes, faz um friozinho.Não deixe para comprar aqui. Acaba saindo o mesmo preço ou até mais caro. A não ser que você pegue uma boa liquidação.
  • Não aconselho trazer casacos de couro. Além de não esquentar nos dias mais frios, aqui você encontra mais barato do que no Brasil.
  • Para as mulheres – traga duas leggings de boa qualidade e, de preferência pretas, pois você pode combinar com tudo. Você vai usar bastante (nos dias mais frios, acompanhada por meia calça e calça jeans) e aqui é muito difícil encontrar leggings como as que a gente compra no Brasil. O material que geralmente achamos é muito ruim e com três lavagens já pode virar “roupa para ficar em casa”.
  • Meias-calças para as mulheres. Usei muuuuito no início da primavera dia e noite e sei que voltarei a usar quando o verão passar. A meia-calça vai bem em quase todas as ocasiões. Com shorts jeans, saias, vestidos. Esqueça o seu conceito do que é fashion e do que não é. Ao fazer intercâmbio você descobre que consegue criar certas sobreposições que jamais imaginava. Preta e cor da pele!
  • Homens e mulheres – meias. Cano curto e cano alto. Traga uns três pares de cada.Depois poderá comprar mais. Você vai usar bastante, até mesmo quando estiver em casa. Principalmente se for ficar em um quarto nobasement(porão), onde a temperatura é mais baixa do que no restante da casa.
  • Para os homens – uma boa “ceroula” vai ajudar quando a temperatura baixar. Você pode encontrar na Hering, Lupo…
  • Kit básico: cachecol (você pode trazer um bem quentinho e um de tecido mais leve para alternar com a mudança de temperatura); gorro e um par de luvas.
  • Homens e mulheres – blusas de gola rolê você vai usar mais próximo ao inverno. Uma ou duas são suficientes. Aqui você encontra baratinho. Além do mais, elas são mais úteis quando se está na rua. Provavelmente você vai morrer de calor em ambientes fechados, onde o aquecedor estará ligado. É muito mais válido investir em um cachecol mais grossinho. Dá menos trabalho para tirar.
  • Homens e mulheres – roupas de balada, tragam as que vocês mais gostam. Invista em peças coringas, que possam ser misturadas com outras. Válido para ambos: uma boa camiseta preta, uma calça em jeans escuro. Com um bom casaco por cima, você pode usar o que quiser. E não se assustem com a moda das canadenses nos bares e nightclubs. Elas abusam das roupas curtas, apertadas e decotadas.
  • Traga uma boa bota. Você vai usá-la praticamente todos os dias. Quando cheguei o inverno já tinha acabado, mas ainda assim era impossível calçar outra coisa que não fosse bota. Acho que usei a minha por 30 dias seguidos (hahaha). E nada de trazer mais do que uma. Aqui ninguém se importa se você usa a mesma bota todos os dias na escola e também vai para a balada com ela. O mais importante é que ela seja confortável. De preferência sem salto para as intermináveis caminhadas por Toronto.

Roupas para o calor

20120526-120316.jpg

Sim, em Toronto também faz muuuuuito calor. E eu queria que todo mundo soubesse disso, pois os brasileiros que nunca vieram ao Canadá só me perguntam pelo frio. E quando digo que aqui já está parecendo o sertão nordestino ninguém acredita. E olha que o verão só chega na segunda quinzena de junho…

  • Homens e mulheres – Shorts para elas e bermudas para eles. Mulheres, não se preocupem com o comprimento dos shorts. Aqui em Toronto prevalece a regra do “quanto mais curto, melhor”. As lojas estão repletas de micro-shorts e saias jeans e de tecidos coloridos. Não tenham vergonha de mostrar as pernocas. Dois shorts e/ou bermudas são suficientes.
  • Muheres – saias, vestidinhos e macacões de tecidos leves. Traga um de cada. Ou mais, caso você não seja adepta do jeans.
  • Homens e mulheres: HAVAIANAS. Ahh, elas são um dos nossos maiores vínculos com o Brasil! hahaha! Super fashion e adorada por todos aqui, por sinal. Traga uma da bandeirinha. Você vai ver como alguém vai olhar e puxar papo do tipo: “Onde você comprou? Você é do Brasil?” 😉
  • Mulheres – Uma rasteirinha e uma sapatilha.
  • Homens e mulheres – Um tênis e, caso tenha, um sapatênis. Se não tiver, o tênis já é suficiente.
  • Homens e mulheres – Um casaco ou jaqueta de tecido leve.

Outras dicas:

– Traga um adaptador para tomada. Aqui o plugue mais comum é aquele com duas barras verticais achatadas. Diferente do Brasil, que geralmente são os dois círculos. A voltagem é 110v.

20120526-120816.jpg
Adaptador para carregador de celular

– Quem gosta de desodorante do tipo aerosol, se prepare para procurar muito por aqui. Principalmente os femininos que na maioria das prateleiras são do tipo roll on.

– Mulheres, aqui não achamos aquele pauzinho usado para tirar a sobra de esmaltes das unhas. O que a gente usa com o algodão e acetona. Já procurei mil vezes e nada de achar!

-Pantufas aqui são bastante úteis. É preciso tirar o sapato logo na entrada das casas em Toronto, um costume seguido pela maioria dos moradores.

;

Por enquanto só consigo recordar essas dicas. Ahh, e esteja preparado para deixar algumas roupas para trás antes de voltar para casa…Além de encolherem, elas ficam bastante estragadas com o uso contínuo da máquina de secar.

Espero ter ajudado!!

;

beijo beijo,

;

Aritta

Companhias por tempo determinado, amizades por tempo indeterminado…

Oioi!

Antes de entrar no assunto de hoje eu queria dizer que tô super feliz com a quantidade de acessos ao blog!!! Muito bom saber que algumas pessoas realmente leem o que eu escrevo! Obrigadaaaaaaa!!!! =)

Hoje escolhi falar sobre algo que para mim é uma das partes ruins do intercâmbio: se despedir dos novos amigos. E quem já fez ou está fazendo intercâmbio entende bem o que quero dizer. Fazemos novas amizades numa facilidade absurda, pois estamos todos na mesma situação: longe da família, em uma cultura totalmente diferente, carentes e loucos por companhias para desbravar o novo mundo.

Nos apegamos às pessoas e elas se tornam “as mais novas amigas de infância”. Mas logo chegam as despedidas, afinal, o tempo de intercâmbio nem sempre é o mesmo e você pode ter alguém apenas por alguns meses ao seu lado e sentir como se já conhecesse há anos.

Desde que cheguei, há dois meses, já me despedi de 3 pessoas especiais: a Thais de SP, o Luis da Venezuela e agora a Bia, tambem de SP e que voltou ao Brasil neste fim de semana. 😦

E algumas vezes a gente tem a sensação de que vai ser muito difícil reencontrar aquela pessoa novamente…A não ser que vocês morem na mesma cidade, país ou até no mesmo continente. Por enquanto ainda não tenho amigos da Korea, Japão e nem China. Porque ai a coisa fica complicada…. 😉

E você fica triste, porque aqueles amigos estavam com você nos seus primeiros momentos no até então desconhecido país. E eles te ajudaram a se sentir querido, confortável e menos perdido. Eles levantaram o seu astral, te deram um abraço por vezes desajeitado, mas sincero, seguraram a sua bebedeira e ainda te emprestaram $1 para comprar mais uma cerveja. Eles ouviram o seu discurso sobre ‘o que eu mais odeio e o que mais amo no Canadá’ e dançaram ao seu lado até as luzes do nightclub acenderem. Eles ouviram histórias sobre a sua família, os seus amigos e até segredos mais íntimos.

Ainda irei me despedir de muita gente e sei que alguns, como esses que citei no texto, vão fazer muita falta. E eu espero que a famosa frase “ainda vamos nos ver novamente” não seja dita apenas como forma de consolo.

Que os novos amigos sejam bem-vindos e que as despedidas sejam sempre tristes, pois assim a gente tem a certeza de que tivemos mais momentos bons do que ruins juntos e que aquela pessoa é de alguma forma especial.

;

20120519-220640.jpg
Eu e a Bia, a novinha! Companheira de coreografias.. Já faz falta!

20120519-221318.jpg
Luis, um dia apareço em Caracas! Haha

20120519-222041.jpg
E essa é a Tha, super querida e que faz muita falta!

;

beijo beijo beijo

;

Aritta

Como usar o transporte público em Toronto

Hello everybody!

Amanhã é o primeiro dia do mês de maio, muita gente comemorando o fato de não trabalhar já que é feriado em alguns países (Dia do Trabalhador, comemorado em 3 de setembro aqui no Canadá), mas para mim e para muitos que usam o transporte público de Toronto diariamente, primeiro dia do mês é dia de comprar o novo metropass!
Eu já havia prometido em um post anterior que explicaria como funciona o transporte público aqui, então hoje, já que estou com o meu bolso triste por ter que pagar o metropass, vou aproveitar para contar tudinho para vocês.
Diferente da minha cidade, Salvador, que é abastecida com diferentes empresas de transporte urbano, aqui o sistema de trânsito que compreende bus (ônibus), subway (metrô) e street car (bondinho elétrico) é realizado pela Toronto Transit Comission (TTC para os íntimos hehe).
Nos primeiros dias é normal ficar meio perdido e pagar alguns micos, mas logo você se habitua e já aprende as “manhas”.
O fato de o transporte público ser gerenciado apenas pela TTC significa que você pode usar os três meios de transporte pagando apenas uma passagem. Mas antes, vou ensinar algumas regrinhas básicas para evitar alguns erros.

20120430-230847.jpg
Ônibus comum

20120430-231024.jpg
Street car

20120430-231132.jpg
Metrô

Já falei no post anterior: ao pegar ônibus, vá com $3 trocado. Eles não dão troco.
Se você for usar ocasionalmente o transporte público, a melhor opção é ir até uma estação de metrô e comprar os Tokens, que são umas moedinhas bem pequenas aceitas nos três meios (ônibus, street car e metrô). Facilita a sua vida pois nem sempre você terá dinheiro trocado em mãos. Eles fazem uns pacotes e dão desconto (vou colocar uma tabelinha abaixo).
Ao usar dinheiro ou token você pode pegar um transfer que te dará direito a reutilizar o transporte em outra estação.
Se você é estudante (lembrando que aqui escolas de idiomas não são aceitas para fazer carteiras de estudantes e afins) ou sênior, você pode comprar tickets em papel, com desconto.
Mas, se você faz parte da minha turma, e está matriculado em uma escola de idiomas, a melhor opção é o metropass, vendido semanalmente – $37,50 – ou mensalmente $126. Ao fazer as contas dá pra ver que o mensal sai mais barato.
Com esse cartão você pode usar sem limites o transporte público durante um mês!

20120430-232837.jpg
A partir de amanhã usarei esse vermelhinho

Tabela de valores:

20120430-223109.jpg

Mas se você está apenas visitando Toronto sozinho ou com a família, a melhor opção é o day pass que custa $10,50 e você utiliza livremente durante todo o dia. Nos finais de semana um só day pass pode ser usado por dois adultos; dois adultos e quatro crianças ou um adulto e cinco crianças.

Mais uma tabela:

20120430-223932.jpg

Ainda não aprendi tudo e posso esquecer de mencionar algo importante (por isso, coleguinhas que vivem em Toronto e lêem o blog, me ajudem caso eu tenha deixado passar uma informação) mas vou colocar algumas dicas para ajudar os leigos em TTC.

DICAS:

1. Você não precisa estender a mão para o ônibus ou street car parar. Basta ficar no ponto que eles param. Mas fique exatamente no ponto, pois eles passam reto se não tiver alguém ou se a parada não foi solicitada por um passageiro.

2. Não tenha medo de perder o ponto onde deve desembarcar. Todos os ônibus possuem um letreiro no interior que mostra a próxima parada. Além disso uma voz sempre avisa “The next stop is…”. Basta um papelzinho com o nome da rua e atenção ao letreiro.

3. O ônibus só para no ponto. Mas a partir das 9PM (21h) as mulheres podem solicitar ao motorista parar fora do ponto por segurança.

4. O metrô funciona somente até 1h30AM. Em algumas estações por alguns minutos a mais. Os ônibus normais também param nesse horário. Portanto, ao procurar moradia é sempre bom saber se a casa fica perto da parada dos street cars, também chamados de blue night, que rodam a cidade 24h mas não entram em todas as ruas, apenas nas principais.
Não tem mistério algum pegar esses ônibus, basta descobrir o número correspondente a sua rota e esperar nos pontos sinalizados com a plaquinha 24h.

5. Prepare-se para dividir o metrô com ciclistas e suas bikes, cachorros e passageiros das mais diferentes culturas. Tem gente comendo ao seu lado, lendo, dormindo ou falando sozinho (vejo muuuito isso aqui). Nos ônibus os cachorros também são bem-vindos assim como os carrinhos de bebê (esses dias tinham 4 carrinhos!). As bikes são presas na parte frontal do bus.

6. A maioria das estações possuem terminais de ônibus interligadas. Ao sair do metrô, caso precise pegar o bus, não é necessário mostrar o metropass nem o transfer. Mas é preciso lembrar que, caso você saia da estação, está proibido de voltar pelo mesmo local sem passar pelas catracas. As estações são abertas mas sinalizadas com placas de “proibido a entrada” por determinados caminhos. Você pode levar uma multa pois eles entendem que você está tentando entrar para pegar o ônibus sem pagar. Volte pela entrada principal e evite problemas.

Acho que já expliquei o mais importante. Não consigo lembrar nenhuma outra dica agora…No fim das contas, o TTC não é nenhum bicho-de-sete-cabeças!
Uma boa dica para quem tem iPhone (eu não sei em quais outros modelos também é possivel) é baixar os aplicativos TTC Navigator e Rocket Man. O primeiro mostra todas as linhas de subway, ônibus e street car. O segundo mostra o horário do próximo ônibus! Muito bom! Super recomendo!

Vou ficando por aqui e volto em breve com mais novidades!

Beijo beijo,

Aritta