5 meses no Canadá!

20120827-203127.jpg

Há exatos 5 meses eu desembarcava em Toronto com a minha mala rosa e todos os sonhos do mundo! Quem diria, 5 meses já se passaram…
E agradeço a Deus todos os dias por ter permitido que eu girasse o meu mundo em 360 graus tão depressa e sem exitar.
Eu não poderia estar mais feliz! Ou melhor, estaria mais ainda com a família e os amigos pertinho.

=)

Anúncios

Como se acostumar?

Eu já deveria ter me acostumado com ela. Me lembro que nos conhecemos quando eu ainda era um bebê e estava mudando de cidade, mas ela se aproximou realmente quando eu tinha 5 anos e levou aquela que eu mais amava. Desde então virou quase uma companheira. Daquelas que a gente briga, esperneia, pede para que desapareça, mas ela sempre volta. Eu realmente já deveria ter me acostumado com ela, mas a tal da Saudade é tão egoista e individualista que não se preocupa com o que a gente pensa. Ela fica ali, machucando, horas com maior intensidade, noutras bem de levinho.
E quando ela chega o coração fica apertado, os pensamentos voam longe, a gente entra em combate e agumas vezes precisamos bater as mãos no tatame e mostrar que desistimos. Daí ela se aquieta e de mansinho vai indo embora. Mas a gente sabe que logo seremos chamados novamente para a luta.
O curioso é que mesmo sabendo o quanto dói, por vezes tomamos atitudes que nos levam de encontro à Saudade. Por que estar longe da família, dos amigos, daqueles que amamos, se dói tanto? Em outros momentos não temos escolha. Ela arranca de nós os nossos heróis, aqueles que acreditávamos serem imortais. Ela leva os bons…E o coração despedaçado se pergunta: por quê?
E eu posso não ter aprendido a me acostumar com ela, mas sei reconhecer o quanto cresço a cada reencontro que nós temos. Eu me tornei mais forte e todos os dias aprendo um golpe novo para evitar a desistência. Eu tenho me esquivado do jeito que posso, mesmo sabendo que posso ser pega de surpresa e perder por nocaute. Mas todo grande lutador cuida das feridas e volta inteiro pro ringue.
E é assim que tenho feito dia após dia.

Aritta Valiense

Piscinas públicas em Toronto

A estação mais gostosa do ano está quase acabando e eu já estou começando a tirar os casaquinhos mais leves do armário. Mas como ainda temos alguns dias de sol, vamos aproveitar enquanto o outono não chega!
Por incrível que pareça, hoje foi a primeira vez que fui a uma piscina pública aqui em Toronto e adorei! Exceto pelo fato de não ter cadeiras e a gente ter que sentar no chão, os clubes são super organizados e, ao contrário do Brasil, aqui ninguém tem frescura com o que é público, todo mundo frequenta! E todo mundo cuida…
Eu sei que já estou meio atrasada para dar esta dica, mas como os posts ficam aqui para sempre, pode ajudar quem pretende vir no próximo verão. Antes tarde do que nunca, né?
A cidade oferece 58 piscinas ao ar livre espalhadas nos principais bairros da cidade. A lista completa você pode coferir aqui.
Elas estão abertas desde o final de junho, início do verão, e serão fechadas em duas semanas, no dia 2 de setembro. Portanto, ainda tenho dois finais de semana para aproveitar.
Você não paga nada para frequentar mas precisa seguir algumas regrinhas: não entrar com bolsas no deck (nos vestiários ficam uns armários que funcionam com uma moeda de $0,25); não levar comidas e nem bebidas alcóolicas; não é permitido fotografar dentro dos clubes; crianças usam uma pulseirinha de identificação e só podem entrar na piscina acompanhadas pelos pais.

20120819-220428.jpg
Um minuto antes de descobrir que não podemos fotografar

Fiquei impressionada com o número de salva-vidas. Eram por volta de dez em um clube relativamente pequeno, com 4 piscinas.
A diversão da criançada é garantida, já que a maioria oferece toboágua e trampolim! E sabe o que é melhor? Existem mais de 100 piscinas infantis nos parques de Toronto.

20120819-221226.jpg

Caso você queira curtir a praia que fica no bairro de Woodbine, tem uma piscina em frente e bem próximo um restaurante e uma lanchonete. Esta é maior do que a que fui hoje, mas fica mais cheia por ser em
frente à praia.
Aqui não existe o preconceito em frequentar estes locais. Lembro que quando estava na homestay a minha host mother me contou sobre as piscinas e me disse que uma das estudantes que tinha morado com eles antes e que era de outro país da América do Sul falou que “não frequentaria, pois no país dela isso era coisa de gente que não tinha dinheiro” e a minha host mother ficou super assustada com a resposta da garota. Gente, nunca façam isso, pelo amor de Deus!
Quando a gente faz intercâmbio precisa deixar fora da mala todos os preconceitos. Estamos em um país multicultural, onde brancos, pardos, amarelos, negros, todas as raças convivem juntas sem diferenças.
E ainda que seja difícil quebrar algumas barreiras, guarde só para você esse tipo de pensamento, porquê pior do que pensar desse jeito é ter a oportunidade de mudar e ainda assim continuar sendo o mesmo.

E vamos aproveitar todos os minutinhos do intercâmbio, explorar o desconhecido, descobrir o que o País guarda para nós, viver coisas novas…Pois não conheço ninguém que não morra de saudades quando ele acaba!

=)

Nightlife em Toronto

Eu já havia escrito este post há uns dias, mas por um descuido acabei deletando tudo e o estresse fez com que eu desistisse de reescrever no mesmo momento… Como levei alguns puxões de orelha da Carolina, da Cassiana e da Alice – que estão vindo para Toronto -, e também de alguns amigos, larguei a preguiça de lado!
Meninas, sorry por demorar um pouquinho! Vou tentar fazer um post bem legal para me redimir!
Vamos ao que interessa… 😉
Toronto é uma cidade que oferece milhares de opções de programas noturnos. Bares, pubs, restaurantes e nightclubs se espalham pelas ruas mais badaladas, cada ambiente com diferente estilo, preço e público. Mas se você é um intercambista recém-chegado o seu roteiro já está praticamente estabelecido: a maldição dos três Ms!
Calma, é apenas uma brincadeira em alusão aos três locais mais frequentados pelos estudantes em Toronto: Madison, Momentos e Maná.
Logo nos primeiros dias de aula você vai se enturmar com algum grupinho e não se preocupe, todos os caminhos levarão a um desses lugares. Isso, é claro, se você não tiver nenhum amigo canadense, o que não é muito comum entre os estudantes que acabam de chegar.
Os três locais possuem estilos completamente diferentes! A Momentos , que na verdade se chama Club V, mas todo mundo conhece por Momentos, faz a festa Latina às quartas-feiras.
Assim como muitos outros lugares aqui em Toronto, quem chega antes das 23h não paga para entrar na festa, independente de ser homem ou mulher.
Maná e Madison fazem a alegria dos estudantes nas noites de quinta-feira. O primeiro local é famoso por promover uma festa com o tema Brasil, com banda de Pagode e feijoada de graça! É isso mesmo, quem morre de saudade do feijão-nosso-de-todo-dia pode comer de graça lá no Maná. O repertório da banda é muito bom, apesar de algumas vezes tocar umas músicas meio antigas. Um DJ anima o público antes da banda começar e quando ela para de tocar.
Outra coisa legal é o valor do pitcher (jarro) de cerveja. Custa $10 e dá pra encher 4 copos grandes. Bom para dividir com os amigos e gastar pouco! Mas por volta da meia noite eles passam a vender somente as bottles a $6 cada.

20120815-232248.jpg
Pitcher

No Maná você pode entrar com
RG ou carteira de motorista. Mas original! Aqui dificilmente eles vão aceitar cópias. O horário de chegada é o mesmo, antes das 23h não paga, após esse horário fica $5 ou $10.
O Madison é o meu preferido entre os três. Um típico pub canadense! Com diversos ambientes, o local é bem grande. O atendimento é péssimo – se prepare para ficar um bom tempo esperando ser atendido… Em um dos andares um pianista toca jazz e blues, no superior, um pátio para os fumantes e um salão com mesa de sinuca.

20120815-234638.jpg
Madison

No basement a boate fica lotada a partir das 23h, quando o DJ entra em ação. O valor da bebida é bastante atrativo $3,50 pela bottle de Canadian e $5 pelo draft, um copo grande.

20120815-232129.jpg
Draft

Ao contrário do Maná, no Madison eles não aceitam nossa RG se for aquela toda plastificada. Uma amiga disse que conseguia pois a dela era mais atual e vinha naquele saquinho tipo de carteira de motorista, que é o que eles aceitam, pois dá pra tirar do plástico e ver que não é fake. Caso não tenha, leve o seu passaporte com MUITO cuidado.
Vale a pena chegar um pouco mais cedo, pois a fila é sempre grande. Também não é cobrada a entrada.

Quando falei sobre a “maldição dos três Ms” eu quis dizer que muitos estudantes acabam se acomodando e deixando de descobrir as diversas opções de locais para se divertir na noite de Toronto. Seja por preguiça, pela segurança de saber que nos 3Ms vão encontrar brasileiros e a comunicação será mais fácil ou mesmo por falta de interesse, muitos acabam passando meses aqui sem sequer mudar a programação.
Isso aconteceu comigo no primeiro mês. Depois, descobri tanta coisa bacana que os professores sempre pedem para que eu indique aos colegas.

Para relaxar

Saindo das festinhas que reúnem
99% dos intercambistas, fui parar em um pub super bacana na Queen Street West, a minha rua preferida aqui em Toronto! O nome do local é The Rhino e apesar de ser bem simples a comida é excelente e o preço é melhor ainda! As porções são bem generosas e a variedade de cervejas é enorme! Além da área interna, com mesa de sinuca, eles também oferecem um pátio. Uma boa pedida é a porção de Nachos ($8) que serve tranquilamente 2 ou 3 pessoas.

Saindo do Rhino, bem frente fica o Cadillac Lounge, outro pub bem com a cara do Canadá. O local é bem famosinho na cidade e chama a atenção de quem passa na Queen Street West pela fachada que traz a réplica de um carro.

20120815-234806.jpg
Fachada do Cadillac Lounge

As paredes decoradas com calotas e fotografias em preto e branco e o piso de madeira dão um charme ao pub que também possui um pátio funcionamdo durante todo o ano (alguns bares só abrem o pátio durante o verão). O diferencial do pub é a música ao vivo, com artistas que agradam quem curte rock e country.

Luxo

Mas se você já fez o esquenta em um pub e agora quer esticar a noite dançando até o toque de recolher (hahaha é como eu chamo o horário em que param de vender bebidas, às 2h), eu sugiro que você vá ao The Drake Hotel, um hotel boutique também na Queen Street West (não disse que amo essa rua?). O local é fantástico! Você pode ir mais cedo para jantar no restaurante e depois subir para o lounge. Após tomar uns drinks desça para a boate e se quiser curtir um som diferente, vá para o basement, onde o DJ toca mais música eletrônica. Bom demais!
O valor das bebidas é um pouco mais alto, mas como todo bom estudante, vale a velha dica do esquenta em casa! Assim a gente chega na balada já meio alegrinho e o nosso bolso agradece! O que não vale é deixar de conhecer os locais porque a bebida é mais cara.
Outra dica: cuidado para não chegar “alegrinho demais”. No The Drake se o segurança percebe que você está bêbado, te coloca para fora!
Diferente dos 3 Ms onde você pode ir mais casual e ninguém está nem ai para o que você veste, aqui você tem que caprichar um pouco mais na produção. Pros homens, camisa social e para as mulheres vestidinho ou saia e salto alto!

Outro lugar que conheci há pouco tempo e que amei foi a Maison Mercer. Pensem numa nightclub perfeita? A decoração, o set list do DJ, o público, o pátio, bom demais!

20120815-234947.jpg
Maison Mercer

Não sei quanto custa para entrar, pois era aniversário de um amigo e não pagamos, mas assim como outras do mesmo top (a Muzik e a Cube) o valor deve ser $20. Cinco estrelinhas pra Maison! 😃

Outras sugestões:

Jack Astor’s: o bar mais famoso de Toronto, tem várias unidades em diferentes bairros. É o point dos jovens canadenses. Gosto muito do que fica na Yonge-Dundas, bem em frente ao Eaton Center.

C’est What: Um pub meio famosinho pelas cervejas exóticas. A mais famosa é a feita com cannabis. Não aconselho porque é super forte e com gosto de mato. Eca! Mas o ambiente é super aconchegante.

– Touché: Na Little Italy, esse bar é uma ótima opção para quem adora pagode. Aos domingos, a partir das 20h, de graça e não precisa mostrar documento.

This is London: Está virando modinha entre os estudantes nas noites de sexta-feira. Decorada com Totens, possui pátio e o banheiro mais lindo que já vi… Rsrs

Gente, eu passaria horas falando sobre os locais legais que eu já frequentei aqui, mas o post já está enorme e acaba ficando uma leitura cansativa… Então prometo falar do assunto “Nightlife em Toronto” novamente e dar outras dicas de locais que vocês devem visitar.

Espero ter ajudado!

=)

P.s: Todas as fotos foram retiradas da internet.

Aritta