Bye bye inverno!

Oi gente!!

Finalmente o inverno chegou ao fim! E quem passou a estação congelante aqui em Toronto este ano sabe do que eu estou falando. Não foi fácil para ninguém!
O frio começou em outubro e apesar de amanhã ser o início da primavera, a temperatura continua baixa, chegando a -12 nos momentos mais críticos. Ao menos parece que não teremos mais tempestade de neve e nem chegaremos aos -25 como aconteceu nos dias mais frios.
E ai todo mundo pergunta: como vocês aguentam? Como saem de casa?
Vou falar a verdade. Quem diz que é moleza está mentindo. É claro que com as roupas e sapato adequado dá para tolerar o frio. Mas tem sempre aquela parte do corpo que sofre um pouco mais, ainda que esteja agasalhada. No meu caso, por teimosia minha, os meus pés foram os que mais sofreram. Como passei quarenta dias de férias no Brasil, acabei não comprando uma bota que aguentasse a neve (muuuita neve) e sofria cada vez que andava durante muito tempo, já que a costura das botas acabava deixando a neve passar, derretia e molhava o pé inteiro. A sensação é de que os dedos vão cair! Hahahaha
Ah, e tem mais: as botas normais, dessas que não tem nenhuma proteção especial, escorregam MUITO! Com o frio, formam-se camadas finas de gelo nas ruas e calçadas, e elas são bem escorregadias. Sei de muita gente que levou tombos por causa disto.
A verdade é que sempre achei as botas de inverno muito grosseiras, feias. Mas no final da estação acabei tendo que investir em uma delas.
Outra coisa que me incomodou bastante neste inverno foi o frio no rosto. Tem dias em que as bochechas ficam rosinhas, queimadas pela baixa temperatura. E queima mesmo.

20140319-223357.jpg
Harborfrount – Lake Ontario congelado ao fundo

Eu reclamei muito deste inverno, talvez porque no ano passado não estava tão rigoroso assim. Mas não deixei de fazer os meus programas favoritos e nem de ir na academia. Porque, aqui no Canadá, se frio for desculpa para não treinar, eu viro um boneco de neve bem gordinho. 😊

20140319-224045.jpg
Harbourfront

Mas como já expliquei em um dos meus primeiros posts, a cidade é super planejada e preparada para as baixas temperaturas. A tecnologia dos aplicativos para smartphones ajuda muito na hora em que vamos sair de casa para pegar um ônibus ou o street car. Saber quantos minutos faltam para o transporte chegar evita que fiquemos por mais tempo na rua.
Além disso, temos o Path, um complexo de túneis subterrâneo com uma extensão de 29km que interliga diversos pontos do centro de Toronto. De acordo com o Guinness Book, o Path é o maior complexo comercial subterrâneo do mundo, com 371,600 mil metros quadrados.

20140319-225438.jpg
Assim melhora um pouco pra gente, não é? Mas ainda assim é difícil.
E sempre que me perguntam como posso amar Toronto mesmo com todo esse frio eu respondo: o inverno é um sacrifício que vale a pena.

20140319-230116.jpg
Rua da minha casa

20140319-230203.jpg
Lake Ontario Congelado

20140319-231558.jpg
Foto roubada da Bru

20140319-231728.jpg

Toronto é linda a qualquer hora do dia e em todas as estações.
Mas chega de frio, né? Que venha a primavera com suas cores e flores para enfeitar a cidade!

Beijo,

Aritta

Anúncios

Saint Patrick’s Day no Canadá

Oláaaa!

Para quem mora no Canadá ou em outros países de língua inglesa, ontem foi o dia de ver as ruas “pintadas” de verde! Pessoas vestidas de verde, com sapatos, chapéus e outros acessórios na mesma tonalidade. Tudo isto em homenagem ao Saint Patrick’s Day, ou dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda, que tinha como missão pregar o cristianismo na região.
Apesar de ser uma celebração criada pelos irlandeses, Saint Patrick é provavelmente o mais comemorado no mundo, entre os outros dias de santos.
O primeiro festival para celebrar o santo ocorreu em 17 de março de 1996, na Irlanda. Dez anos depois, o evento passou a durar 5 dias.
Nesta data, durante o dia, irlandeses saem às ruas realizando apresentações artísticas e shows de acrobacia. À noite os jovens lotam os pubs que servem o famoso chopp verde (a coloração é feita com um corante alimentício sabor menta), criado especialmente para as comemorações.
Em Toronto as festividades também são bem animadas. E nem mesmo o fato da data cair numa segunda-feira impede os canadenses de encherem os pubs espalhados pela cidade.

20140318-220912.jpg
Green beer

20140318-220948.jpg
Comemorando em 2013 com Mateus, Mayanna e Georgina

20140318-221147.jpg Foto de ontem, no pub irlandês Pauper’s

Lugares para se comemorar o Saint Patrick’s Day em Toronto não faltam. Não só os pubs irlandeses da cidade, como também diversos bares e restaurantes oferecem programações especiais para a data. Para os que têm pique e não perdem uma balada, as festas já começam na sexta-feira. Alguns grandes eventos vendem tickets online e devem ser comprados com antecedência. Já nos bares e pubs com acesso livre é preciso chegar cedo, já que ficam lotados bem rápido. Então, a dica para quem tá chegando na cidade e vai estar aqui no próximo ano é: fiquem atentos às programações e não deixe de entrar no espírito da festa!

😊

Até logo!

Aritta

Saindo da rotina: comida persa em Toronto

Oi gente!

Sei que meu último post fala sobre comida e já estou de volta para falar sobre a mesma coisa, mas não podia deixar de dar a dica sobre o restaurante de culinária persa que visitei ontem durante o almoço.
O The Pomegranate fica na Bathrust com a College, sem placa muito grande e uma portinha que já dá a entender que o local é pequeno, com capacidade para cerca de 40 pessoas. Chegamos lá, eu e o Marc, por volta das 4:30PM para um late-lunch-quase-jantar e descobrimos que só abriria às 5PM. Decidimos dar uma volta e retornar logo em seguida.
A moça que nos recepcionou (fomos os primeiros a chegar) já foi logo perguntando se tínhamos feito reserva (e não tínhamos). Escolhemos uma mesa e ela perguntou se terminaríamos antes das 7 pois já estava reservada. Assim que sentamos fiz logo o comentário pro Marc: -O lugar vazio e ela vem com caderno para checar se tem mesa vaga?
– Deve encher jajá. – ele disse.
E encheu rapidinho.
Foi a minha primeira experiência com comida persa e confesso que gostei muito mais do que achei que iria gostar.
O local é aconchegante, o atendimento é ótimo, preço razoável e a comida chegou bem rapidinho.
Como não conhecíamos nada sobre a culinária, pedimos a sugestão da garçonete para duas entradas e dois pratos principais.

20140310-171210.jpg
Mesas pequenas e decoração típica

Escolhemos os seguintes appetizers: zeitoon parvardeh ou caviar vegetariano, um patê feito de azeitonas verdes, nozes, alho e romã. Muito bom!!!

20140310-173234.jpg
O menor é o zeitoon parvardeh e o maior é o kashk-e bademjaan

E o kashk-e bademjaan, uma pasta de berinjela, alho, nozes, cebola caramelizada e um creme branco chamado de kashk ou persian whey -, azedinho e parecido com sour cream que a gente vê em comida mexicana. Pensem num negócio bom? Amei!
As duas entradas são acompanhadas por uma cestinha de pão com massa bem levinha. Fiquei em dúvida entre qual foi a minha preferida e o Marc gostou mais do caviar vegetariano. 😊
Na hora de escolher o prato principal recorremos novamente à ajuda da garçonete que, super atenciosa, explicou direitinho os pratos e alguns ingredientes com nomes totalmente desconhecidos por mim. O Marc acabou por optar por uma das especialidades do dia que não consta no cardápio: carne de carneiro cozida com quiabo e tomates, arroz e salada.

20140310-182108.jpg
A escolha do Marc

Eu como não sou fã de carne que não seja de boi ou frango, não arrisquei e escolhi o fesenjaan, cubos de frango cozido com um molho de romã e nozes, acompanhado de arroz e salada. Confesso que o molho tem a aparência meio estranha, lembra galinha ao molho pardo (que eu não como), mas o sabor meio doce meio azedo me conquistou. É forte e diferente de tudo que já tinha provado, mas o arroz branco e a salada de folhas verdes casam perfeitamente com o sabor marcante do frango.

20140310-183607.jpg
Fesenjaan

A nossa refeição (duas entradas e dois pratos principais) saiu por $40 sem a gorjeta. Eu não consegui terminar o meu prato, pois havia comido as entradinhas e a porção é bem servida.
Como esta foi a minha primeira vez em um restaurante iraniano, não posso comparar com outros locais, mas a minha experiência foi super prazerosa e saí de lá com vontade de retornar em breve para conhecer ainda mais a culinária persa.

Curiosidades:

– Os persas são descendentes de tribos que ocupam uma região na Ásia Central há cerca de 3 mil anos. Em sua maior expansão, o território persa estendeu-se por uma área hoje ocupada por nações como Usbequistão, Turcomenistão, Afeganistão, Turquia, Paquistão, Iraque e Irã. Os iranianos são descendentes diretos dos persas e o país se chamou Pérsia até o século passado. (Fonte: Revista Mundo Estranho)
– Segudo o censo de 2006 (não achei um mais recente na internet) Toronto abriga uma população de aproximadamente 47 mil imigrantes iranianos. (Fonte: Wikipedia)
– A culinária persa ou iraniana é rica em verduras, ervas, frutos secos, iogurte, carne de cordeiro e sopas. Pães e arroz (plano e amarelo chamado tah-chin) são indispensáveis.

E vocês, salivaram com as fotos e descrição dos pratos ou fizeram cara feia?

😊

Até mais!

Aritta

E quando a fome bate… O que se come em Toronto?

Oláaaaa!

Como prometido, estou de volta ao blog e super entusiasmada! E já que não tenho dado dicas sobre Toronto há algum tempo, resolvi falar sobre algo muitíssimo importante pra mim: COMIDA! Porque sou do tipo que aprecia uma boa culinária e estou sempre em busca de lugares novos com comidinhas saborosas.
Toronto é uma cidade multicultural. Em cada esquina você encontra um restaurante de uma outra nacionalidade. E quando se trata de comidas tradicionais do Canadá não adianta se empolgar achando que irá encontrar uma diversidade de iguarias tipicamente canadians.
Por ser uma cidade que abriga gente de todos os cantos do mundo, Toronto acaba por não possuir uma forte tradição quando se trata de culinária local. É um mix de temperos e opções para todos os gostos e bolsos.
Mas temos por aqui a Poutine! O prato, criado na parte francesa do Canadá, nada mais é do que uma batata frita coberta com molho gravy e queijo. Você pode encontrar em diversos bares e restaurantes da cidade.

20140306-122051.jpg

Além da Poutine, o que também é super popular no Canadá é o maple syrup, uma espécie de xarope parecido com mel, feito da seiva da árvore de Maple, que no Brasil é chamada de bordo. O xarope geralmente é consumido no café da manhã com waffles, panquecas, french toast e outras delícias.
As pessoas costumam comparar muito a alimentação canadense com a americana, e realmente aqui existe bastante fast food, mas a impressão que tenho após quase dois anos morando no país é que os canadenses são mais preocupados em manter uma dieta saudável. Lembro que logo que cheguei fiquei impressionada com a quantidade de pessoas que mantém uma dieta vegetariana, vegan e afins. Tem muuuuita gente! E eles são bem rigorosos.
Mas como já disse, aqui você vai achar de tudo um pouco. Vou dar a dica de alguns lugares bacanas (saudáveis ou não tão saudáveis) que costumo frequentar.

Terroni

20140306-190744.jpg
Spaghetti in Cana a Mare

Eu amo comida italiana! Aprecio muito uma boa massa com ingredientes frescos. E no Terroni além de degustar uma autêntica massa italiana, você também pode levar para casa os ingredientes já que no restaurante também funciona uma loja com tudo que você precisa para preparar uma massa deliciosa.
Localizado em três diferente pontos da cidade: Queen St, Adelaide St e Yonge St. O preço é meio salgado – um prato custa em média $16 – mas o ambiente é super charmoso, perfeito para um jantar especial.

Famoso

Eu já fui tanto neste lugar que não podia deixar de fora da minha listinha. Para os amantes de uma boa pizza assada no forno a lenha, o Famoso é uma ótima opção. A verdade é que logo que cheguei aqui costumava reclamar das pizzas já que na maioria das grandes redes de pizzaria encontradas em Toronto (você encontra Pizza Pizza, Pizzaiollo, Pizza Nova e muitas outras em todas as esquinas da cidade) o forno é o convencional e o sabor eu particularmente não gosto.

20140306-192738.jpg
Clique feito pelo meu namorado enquanto eu devorava uma pizza de quatro queijos

O legal da Famoso é que o preço é razoável e eles sempre oferecem algum tipo de promoção. Nas duas últimas vezes que fui lá ganhei cupons no valor de $10 após postar uma foto no instagram com o nome do restaurante na hashtag. Bom, é por isso que tenho tanta foto de pizza no meu instagram! Hahaha

Mariachi’s

Apesar da localização não ser tão boa (Yonge e Eglinton) o Mariachi’s é sempre a minha primeira opção quando quero comer comida mexicana. Os pratos são bem servidos e o tempero é uma delícia! Sempre que vou com o meu namorado, pedimos a Parillada para dos ($38)e na maioria das vezes nem conseguimos terminar o prato que é um mix para duas pessoas com 4 tortillas e porcões de carne, frango e porco, mais arroz, feijão, salada e guacamole. Caso sobre algum espacinho para a sobremesa, peça o fried ice cream (sorvete frito). Bom demais!!!

Playa Cabana

Na primeira vez que tentei almoçar no local desisti após ser informada de que a espera por uma mesa duraria 30 minutos. Na segunda vez ligamos para fazer uma reserva e descobrimos que não havia mesa disponível. Foi ai que fiquei ainda mais curiosa e morrendo de vontade de visitar o lugar (111, Dupont St.). Algumas semanas depois conseguimos uma mesa para jantar e foi ai que eu tive uma das melhores experiências gastronômicas da minha vida, sem exagero! Pedi o Burrito de Mariscos ($16) e me apaixonei!

20140308-170611.jpg
A apresentação do prato é fantástica, o tamanho não deixa a desejar e o sabor é delicioso. Vale a espera por uma mesa!

Chipotle

Bom, barato e rápido. Segundo a minha irmã, o Chipotle é o restaurante mais barato e de qualidade, que consegue matar aquela vontade de feijão com arroz que todo brasileiro tem quando chega por aqui. A rede americana de fast food mexicana (tá certo isso?rsrs) oferece burritos tradicionais e bowls (todos os ingredientes de um burrito sem a tortilha, numa cestinha aberta, como um prato feito), tacos, saladas e nachos. O preço fica em torno de $9 e a porção é bem servida. Em Toronto, se não me engano, existem umas 4 lojas e essa é uma das poucas redes de fast food que não me deixa com dor na consciência depois de uma refeição, já que consumo feijão, arroz, salada e um tipo de carne. E vamos fazer de conta que eu não adiciono guacamole, queijo e o sour cream…. 🙂

Big Smoke Burger

Não sou de comer hambúrguer com muita frequência, já que minhas curvas avantajadas não permitem tamanha extravagância, mas quando bate aquela vontade incontrolável, eu corro pro Big Smoke Burger e peço o meu favorito: Blue Burger.

20140308-180126.jpg
O sanduíche vem com um autêntico hambúrguer (bem grosso), gorgonzola, uma pasta de abacate (já falei que canadense usa abacate em quase tudo? Salada, sanduíche, sushi e etc), alface, tomate e um molhinho de alho. Vale as prováveis mil calorias que o acompanham!!!

Spring Sushi

Se você ama a comida japonesa encontrada no Brasil, logo no início vai estranhar a comida japonesa encontrada por aqui. Esqueça aquelas combinações criadas pelos brasileiros e aprecie sushi preparado com outros ingredientes como o abacate, por exemplo. A boa notícia é que ir a um restaurante japonês aqui é muito mais em conta do que no Brasil. E você vai ver muuuuuitos espalhados por toda a cidade.
O all you can eat (rodízio)no Spring Sushi (em frente ao Eaton Centre) custa $15,99 no almoço e $23,99 no jantar. O ambiente é amplo e bem legal, com ipads em cada mesa para que você faça o pedido sem precisar chamar o garçom. Prepare-se para sair de lá passando mal de tanto comer – se você, como eu, é do tipo que não sabe se comportar em rodízio.

Freshii

A minha opção sempre que deixo de levar almoço pro trabalho durante a semana. O cardápio varia entre diferentes lojas e a que costumo frequentar também mudou o menu recentemente, por isso ainda não decorei as opções oferecidas agora. Mas se você quer fazer uma refeição rápida e super saudável, este é o lugar ideal. Saladas, sanduíches, sopas, bowls e burritos (os meus favoritos!) feitos com ingredientes bem fresquinhos e super light! Super recomendo!

Gente, existem muitos outros restaurantes legais e eu iria passar horas escrevendo. Mas sei que o post já tá longo e acaba ficando chato e cansativo. Eu ia escrever sobre os restaurantes brasileiros, mas vou fazer um outro post sobre eles e explicar onde encontrar mercados que vendem produtos made in Brazil. Então, vou ficando por aqui porque falar tanto sobre comida acabou me deixando faminta. Em breve darei mais dicas sobre onde achar comidinhas e restaurantes bacanas em Toronto.

😊

Até mais!

Aritta

Voltando aos poucos…

Nem sei como começar. A verdade é que voltar a escrever no blog depois de tantos meses sem aparecer por aqui me dá a sensação de reencontrar um velho amigo ao qual não via há anos. São tantos asuntos, confissões, novidades, que a gente se sente meio perdido, acanhado.
Talvez por isso eu tenha apagado três vezes este post e recomeçado. Queria ser justa com aqueles que continuam me enviando mensagens com pedidos de dicas sobre Toronto e dizer que sim, vou voltar a escrever no blog e prometo que a frequência será maior.
Desde já peço àqueles que me mandam sempre msgs aqui ou me adicionaram no facebook, que me enviem sugestões de posts! 🙂

Beijo e até logo!

Aritta