Feriado prolongado no Canadá: Labour Day!

IMG_5765.JPG

Nesta segunda-feira (2/09) será feriado em função do Labour Day ou Dia do Trabalho, como chamamos no Brasil. É um feriado nacional e como já havia dito aqui antes, um dos motivos que me faz amar ainda mais o Canadá é que a maioria dos feriados cai nas segundas-feiras, com exceção do Canada Day, celebrado sempre em 1 de julho, independente do dia da semana.
Dei uma pesquisada na internet para saber um pouco mais sobre o Labour Day no Canadá e descobri que a primeira comemoração ocorreu em 1972 com desfiles em Ottawa, capital do Canadá, e Toronto. A primeira segunda-feira do mês de setembro, então, ficou instituída como o dia dos trabalhadores, para que estes reivindicassem melhorias nas condições de trabalho.
Um fato curioso é que ainda que no calendário o verão termine em 20 de setembro, o feriado do dia do trabalho
marca oficialmente não só no Canadá, mas também nos Eua, o fim das férias de verão e o retorno às aulas nas instituições de ensino dos dois países.
As minhas aulas no curso de marketing começam na próxima terça-feira, logo após o feriado. Estou super empolgada! Será bem cansativo, já que irei conciliar as aulas com o trabalho. Mas vou tirar de letra, como já fiz em outras vezes! 🙂
Por conta disso, resolvi viajar neste feriado para voltar renovada e iniciar este novo desafio. Chamei a minha amiga Flor e, sem muito planejamento, cá estamos a caminho de Montreal (sim, estou escrevendo o post no ônibus enquanto ela tira um sono de princesa ao meu lado).
Não será a minha primeira vez na cidade, já que fui em outubro do ano passado com a minha irmã e me apaixonei!
Farei um post com todas as dicas – e muitas fotos – quando retornarmos, mas queria deixar aqui algumas opções do que fazer para aqueles que irão passar o long weekend em Toronto.

Fan Expo Canada

IMG_5769.JPG
Prepare-se para ver pelas ruas de Toronto milhares de pessoas caracterizadas dos mais diversos personagens de histórias em quadrinhos, video-games, filmes de ficção científica, animes, e outros relacionados. Começa hoje no Metro Toronto Convention Centre e vai até domingo o evento Fan Expo Canadá, que pretende reunir cerca de 120 mil fãs dos gêneros. Informações sobre tickets e horários no site. A foto foi tirada hoje pela Ester Kataota, que foi conferir o evento!

CNE
IMG_5768-3.JPG
Este ano fui à CNE – Canadian National Exhibition pela primeira vez. Amei!!! O evento começou no último dia 15 e termina no próximo domingo, 1 de setembro, no Exhibition Place. Se você ainda não foi, ainda dá tempo de curtir todas as atrações que a feira reserva. A CNE é um paraíso para quem curte parques de diversões e cassinos. Prepare-se para sair de lá com, no mínimo, um ursinho de pelúcia! Hahaha
O evento fecha com chave de ouro neste final de semana e apresenta entre os dias 30/08 e 01/09 o famoso Canadian International Air Show, um dos maiores shows aéreos da América do Norte. Maiores informações no site.

Cirque du Soleil

IMG_5767-0.JPG
Começa hoje em Toronto e vai até o dia 26 de outubro o novo show da companhia circense mais famosa do mundo. Intitulado Kurios – Cabinet of Curiosities o novo show, segundo as críticas, marca o retorno das grandes apresentações do Cirque du Soleil após alguns anos de fracasso. Bom, eu já assisti a dois espetáculos do Cirque e não vi nenhum defeito. Mas, se eles dizem
que está ainda melhor, é mais um motivo pra gente morrer de vontade de ir, não é? Informações e tickets no site oficial.
A foto eu retirei da internet!

Pedestrian Sundays in Kensington Market

IMG_5766.JPG
De maio a outubro, sempre no último domingo do mês, as ruas do Kensington Market ficam bloqueadas para automóveis, sendo permitida apenas a passagem de pedestres. Se você estará de bobeira e procura alguma atração sem custo algum para este domingo, não deixe de ir! Como falei aqui num post recente, a área é uma das minhas favoritas em Toronto. Visite o site para conferir a programação deste domingo.

Estes são os eventos que consegui achar, mas tenho certeza que muitas outras coisas irão acontecer neste fim de semana, não só por ser um long weekend mas porque no verão a cidade nunca para! Bares, restaurantes e baladas na King Street e na Queen Street; piqueniques no High Park e Trinity Bellwoods Park; pegar um bronze com os amigos em uma das praias mais próximas (Cherry Beach, Woodbine e Sunnyside); andar na beira do lago no Harbourfront; passar o dia na Toronto Island… Ih, gente… Vou passar o dia inteiro dando dicas do que fazer na cidade. Tá na hora de terminar o post, porque a bela adormecida que está aqui ao meu lado acabou de acordar e não para de falar um minuto!!! Hahahaha
Aproveitem MUITO o final de semana!

🙂

Anúncios

Comida brasileira, sorvete e parque: um domingo perfeito!

O verão já está quase acabando e eu tenho tentado curtir ao máximo cada raio de sol que ainda resta (olha o drama!).
Eu não caio de amores por domingo. Pra ser bem sincera, eu odeio domingo. Mas hoje o dia amanheceu lindo, um solzão do tipo que te convida a tirar a bunda do sofá e aproveitar o dia ao ar livre. E foi justamente o que eu e a minha roommate Flor fizemos!
Então, ao invés de escrever um post sobre alguma área específica ou restaurante em Toronto, vou contar um pouco sobre as nossas escolhas para curtir o dia de hoje!
Já fazia algum tempo que eu não almoçava em um restaurante de comida brasileira aqui em Toronto. Como estou sempre cozinhando em casa, não sinto falta de muitas coisas. Hoje eu acordei desejando comer carne (não sou vegetariana mas quase nunca compro carne pra fazer em casa) então resolvi ir ao Rio 40 graus que fica pertinho da rua em que moro, mas que eu raramente frequento.
O lugar está sempre cheio nos finais de semana, porém, não é difícil conseguir uma mesa. O serviço é sempre muito bom, mesmo quando o restaurante está lotado. O público quase sempre é só de brasileiros e portugueses, mas frequentado por canadenses também. A comida é boa (peço sempre a picanha com arroz, feijão, farofa e mandioca por $20) e, apesar do preço ser um pouco salgado, as porções são super bem servidas! Vale a pena!
A Flor estava comigo, mas não almoçou lá, por isso só deu pra tirar a foto do meu prato.

IMG_5581.JPG

IMG_5678.JPG

Logo após o almoço chamei a Flor para ir comigo numa loja na Ossington Ave., pois eu tava louca para comprar uma camiseta que tem a palavra “Turonno” na frente, fazendo graça da maneira como os canadenses pronunciam Toronto. Enfim, agora eu tenho a minha também, viu Ester? Hahaha

IMG_5679.JPG

O que aconteceu no caminho até a loja foi o que mais me deixou feliz no dia de hoje. Quem me conhece sabe da minha PAIXÃO por sorvete. Eu não sou fã de nenhuma outra sobremesa, mas basta colocar um pote de sorvete na minha frente e eu sou capaz de acabar com ele em uma horinha.
Passamos por uma fila gigante e eu curiosa que sou perguntei logo o que estava acontecendo. Quando a moça disse: “É UMA SORVETERIA” a Flor já sabia o que isso significava. E lá foi ela (que também adora um sorvete) esperar comigo na fila de um pouco mais de meia hora. O lugar se chama Bang Bang Ice Cream and Bakery (93, Ossington Ave), mas deveria se chamar “PARAÍSO”. Gente, eu já havia ouvido falar sobre os sanduíches de sorvete de lá, mas nem sei porque não dei muita importância. O local abriu no início do verão e é simplesmente fantástico!!!! As filas são sempre gigantes, isso eu confirmei com algumas pessoas que estavam lá. Não há mesas, apenas alguns banquinhos na calçada. Mas a espera é recompensada.

IMG_5680.JPG

Cookies, waffles, donuts, macaroons… Você escolhe como montar o seu sanduíche. A boa notícia é que eles têm várias opções dairy-free. Os sabores mais pedidos são london fog – nome dado a um drink feito de chá preto com leite e baunilha- , muito popular aqui no Canadá; burnt toffee que tem sabor de marshmallow torrado e raspberry. Escolhi este último e, pra acompanhar, um donut recheado com hazelnut. O resultado foi este:

IMG_5631.JPG

IMG_5632.JPG

A Flor escolheu o cone de waffle com sorvete de banana…

IMG_5633.JPG

APROVADOS!!! Voltarei lá antes que eu seja capaz de queimar todas as calorias que ganhei hoje! Hahaha

E logo após a nossa fantástica experiência gastronômica, decidimos caminhar em direção à Queen Street e aproveitar o final da tarde. Paramos no Trinity Belwoods Park localizado entre a Queen St e a Dundas e um dos meus parques favoritos aqui em Toronto.
Como em todos os fins de semana de verão, o parque estava bem cheio. Diferentes tribos se espalhavam pelo gramado, fazendo piqueniques, tocando e cantando músicas, cachorros, crianças, enfim, um mix de gente que gosta de aproveitar dias de sol.

IMG_5670.JPG
Avistamos um grupo de pessoas que praticava slackline, um dos nossos mais recentes vícios, ainda que eu seja péeeeeessima. Nos aproximamos e descobrimos que grande parte do grupo era formada por brasileiros. E foi aquela festa. Passamos horas batendo papo com o pessoal e nem percebemos que já passava das 7pm quando decidimos voltar pra casa. O tempo passou voando.

Brasileiros e canadenses

IMG_5639.JPG

Ken praticando slackline

IMG_5682.JPG

Este foi, sem dúvidas alguma, um domingo sensacional! E é justamente isto que mais amo em Toronto: você vai sempre achar uma forma de se divertir e se surpreender, mesmo sem gastar muito dinheiro ou precisar planejar com antecedência. Basta deixar a preguiça de lado, tirar a bunda do sofá e explorar o que existe lá fora.

🙂

Kensington Market: o charme eclético e excêntrico de um dos meus lugares preferidos em Toronto

IMG_5441.JPG

O Kensington Market não é um lugar que encanta a todos. Muitos se decepcionam ao visitar o local pela primeira vez por acharem que iriam encontrar um outro tipo de “mercado”. O que encontram, na verdade, é um mercado a céu aberto, ruas com casas em estilo vitoriano, lojas e restaurantes alternativos, e um público que mistura hipsters, hippies, rastafaris e outras tribos. Então, se você é do tipo que não tem muita frescura, gosta de arte de rua, decorações em estilo vintage e adora garimpar brechós, lá é o seu lugar.
A área que abrange o Kensington Market vai do norte da College St., Spadina Ave ao leste, Dundas St. ao sul e oeste da Bathurst.

IMG_2573.JPG

O que mais gosto no Kensington Market é a capacidade que o local possui de sempre te surpreender com algo inusitado. Um dos meus lugares prediletos, por exemplo, é o bar chamado Cold Tea (60, Kensington Ave.) localizado no quintal de um dos prédios que abriga várias lojinhas. Você entra numa loja de produtos indianos e segue por um corredor até achar a porta de entrada do bar. O mojito de lá é sensacional! Mas não se engane, apesar da simplicidade do bar que tem um patio com cara de “acabamos de abrir e ainda estamos arrumando”, os preços são meio salgados.

São diversas opções de restaurantes ao longo das ruas, mas uma boa parte fecha cedo. Além disso, no inverno nem todas as lojas ficam abertas. Finais de semana, principalmente nos dias mais quentes, as ruas ficam cheias e os bares/restaurantes também.
Não deixe de provar a pizza e o gelato de chocolate do restaurante italiano Pizzeria Via Mercanti. Sou suspeita pra falar, pois amo gelato! Mas o de chocolate que eles vendem é MUITO BOM!!!!

IMG_5544.JPG

O Big Fat Burrito vai chamar a sua atenção com a fachada toda colorida que fica na esquina da Augusta Ave. com a Oxford St. Uma boa opção para os que procuram algo rápido e simples.
Se você gosta de Tacos, vá ao Mexican Salsas (249, Augusta Ave). Peça o combo de três tacos por $6,95. Muito bom! Para aqueles que acabaram de chegar e ainda estão arranhando no inglês, a Adriana, funcionária brasileira, está lá de sexta a domingo, sempre de bom humor pra te ajudar!

IMG_2569.JPG

Tacos no Mexican Salsas

IMG_5530.JPG

Sou apaixonada pela torta de maçã da Wanda’s Pie in The Sky . O local também está sempre cheio, mas não é difícil conseguir uma mesa e saborear uma das delícias que eles vendem.

IMG_5457.JPG

Uma boa dica para os brasileiros que visitam o Kensington pela primeira vez é dar uma passada numa lanchonete bem pequena chamada Segovia Foods (218, Augusta Ave). Lá você encontra salgados peruanos, colombianos e COXINHA! Isso mesmo, coxinha com Guaraná Antártica!

IMG_5526.JPG

Comecei a visitar a área com mais frequência desde que me matriculei numa academia de Muay Thai que fica na Augusta Ave. uma das ruas mais movimentadas de lá. É sempre uma diversão ir para as aulas e parar em uma das barraquinhas de frutas para comprar tudo fresquinho e mais barato do que nos supermercados.

IMG_5459.JPG

Aos sábados, sempre que termino de treinar, compro suco feito na hora com frutas orgânicas em uma banquinha que fica em uma das calçadas, próximo ao Big Fat Burrito.

IMG_2572.JPG

Artistas se apresentam nas calçadas e você vai se deparar com muita gente “descolada”. É o tipo de local que transpira multiculturalismo.

IMG_5458.JPG

Algumas pessoas meditam na rua…

IMG_5420.JPG

Street Art

IMG_2570-0.JPG

IMG_5545-0.JPG

Se você mora aqui ou está apenas visitando Toronto, reserve um tempinho para descobrir e explorar tudo que o Kensington Market oferece. Vá de estômago vazio, máquina fotográfica na mão e, se puder, livre de preconceitos!
🙂

Eu só queria aprender a plantar bananeira

20140805-202358-73438059.jpg

Eu tenho lá as minhas frustrações. E não me envergonho em dizer que uma das coisas que mais queria aprender na vida era plantar bananeira. Mas a minha última (e única) tentativa resultou em um pescoço quase quebrado e uma crise de risos da minha amiga que empurrava as minhas pernas contra a parede como se elas pesassem meia tonelada. Tudo durou apenas 5 segundos, mas eu fiquei tão frustrada que desisti de tentar novamente.
Nunca soube jogar nenhum esporte que envolvesse bola. Pois é. Fiquei com trauma após levar uma bolada na cabeça que resultou na minha coxinha de frango com catupiry esmagada no chão. Foi no intervalo da escola. Ou melhor, na hora da “merenda” como a gente diz lá na Bahia.
Também não sei pular corda. Passei quase dois anos tendo aulas de boxe e fugia para ir ao banheiro sempre que o aquecimento com cordas começava. Mas eu saía correndo e voltava correndo mais rápido ainda só pra dizer que já tava aquecendo. Fiz isso centenas de vezes!
Há alguns meses eu me matriculei no Muay Thai… E a maldita corda voltou a me assombrar. Só que agora eu não fujo de jeito algum! Dou uns pulos meio ridículos, pareço o Saci Pererê, mas encaro ela de frente. E tô progredindo, viu?
Vocês deviam ver a minha animação durante as aulas. Quando o professor pede pra gente pegar as cordas passa um filme na minha cabeça. Eu sempre penso que de alguma forma eu vou fazer direitinho igual a ele… Super veloz, trocando de pernas, pulando cheio de estilo. Mas ai eu descubro que continuo no pulinho básico, perninha juntinho da outra, um pulinho a cada 5 segundos enquanto eles já deram 3. Mas eu tô tentando.
Não tenho a menor noção de direção. Isso é muito sério. E vou logo deixar um recado pros poucos amigos que não sabem disso. Não me digam que o lugar fica ao sul da esquina noroeste perto do lado leste. Eu vou parar no lado oposto. Sou do tipo que abre o Google Maps e ando de um lado pro outro pra ver a bolinha mexendo e saber se tô na direção correta. O meu namorado me deixa sair primeiro do elevador do prédio dele porque ele sabe que vou pausar por 5 segundos antes de escolher a direção que devo seguir. É a diversão dele.
A lista não é pequena e inclui não saber lidar com abridores de lata (ok, eu sou canhota), morrer de medo de altura e ser péssima com qualquer coisa que envolva fios, cabos, plugs, configurações e afins.
Mas eu tô escrevendo sobre as minhas frustrações porque são coisas que eu realmente gostaria de saber fazer, ainda que pareçam bobas ou sem utilidade alguma. E por mais que eu saiba que não vou virar ginasta de um dia pro outro e jogar as pernas pro ar como se fossem dois gravetos ou que não vou jogar futebol profissional, muito menos vôlei ou basquete (esses dois últimos acho que nem de brincadeira, devido à minha altura), eu tenho me esforçado para perder muitos dos meus medos e a desafiar a minha ignorância. Ainda preciso de ajuda para abrir latas e posso ficar dias sem assistir TV se ela tiver desinstalada. Mas eu não tenho vergonha de pedir ajuda aos meus amigos. Não tenho vergonha de dizer que não sei e jamais vou fingir ser boa em algo se eu nem de longe sei como funciona ou como se faz.
Tenho visto tanta gente por ai que não consegue se livrar de frustrações porque passa a vida inteira com vergonha de assumir que não sabe fazer algo.
Eu fugi para o banheiro muitas vezes durante as aulas de boxe porque tinha medo de parecer ridícula pulando corda. Mas aprendi a pedir ajuda e a persistir até melhorar.
E entre muitas capacidades inerentes que eu possuo, pois eu não sou feita só de defeitos, uma das que mais ponho em prática é a capacidade de rir de mim mesma quando percebo que posso parecer ridícula. Eu rio em alto e bom som, até a barriga doer de tanto gargalhar.
Mas continuo sonhando com o dia em que vou perder o medo de quebrar o pescoço e finalmente conseguir fazer uma daquelas poses clássicas de quem sabe direitinho plantar bananeira.