Eu não sei quando aprendi a te amar

  

O que eu sei é muito pouco, é quase nada, perto dessa coisa absurda que acontece entre a gente. E isso parece querer pular de dentro de mim enquanto você dorme. E eu passo horas te observando enquanto o sono não vem…

Talvez seja o seu jeitinho manso me puxando para o seu peito, a boca que se abre em mil sorrisos diferentes cada vez que falo minhas besteiras ou a sensação da sua respiração no meu pescoço no abraço do sono em concha.

Às vezes me pergunto se você faz idéia do que me acontece cada vez que você chega perto, enquanto me chama de amor e me diz coisas lindas. E quando a sensação de que jamais nos separamos nos invade, tenho a certeza de que essa pausa durou o tempo certo para que a nossa história recomeçasse. Intensa, linda e gostosa.

Eu posso te ver em detalhes cada vez que eu fecho os olhos porque eu sei que eu preciso de você aqui, segurando a minha mão, sendo meu cúmplice, sendo o meu melhor amigo. Conheço cada pedaço do seu corpo e sei exatamente o que você pensa quando franze a testa e levanta a sobrancelha. Ou quando me olha meio torto sempre que discorda das minhas ideias absurdas.

E eu adoro ouvir o barulho que você faz quando desliga o chuveiro, porque sei que o seu cheiro vai inundar de novo o nosso quarto.

Eu gosto tanto de dormir ao seu lado e acordar tendo a sensação de que você jamais vai me achar feia, ainda que eu esteja com a cara amassada ou o cabelo bagunçado. Você vai me chamar de “minha linda”, você nunca esquece. 

De repente sou eu acompanhando seus gestos: a precisão da sua mão enquanto faz o nó da gravata, ou quando rabisca o meu caderno na tentativa de me ensinar matemática. E eu adoro tanto o seu toque e o seu zelo comigo que todo dia eu só quero chegar mais perto porque eu sei que você vai me sorrir de novo. Um sorriso que me desarma e logo depois me arma para que eu corra pro seu abraço.

Estar com você sou eu pensando em família, em filhos, cachorro e jantar às sete. Sou eu cortando temperos em miúdos pedaços e aprendendo a fazer tudo o que você gosta. E eu não era assim. Não era até você me transformar no seu amor.

Eu só não sei em que exato momento você fez isso. Se foi quando me beijou, quando me estendeu a mão ou enquanto você dormia.   

 

Anúncios

4 comentários sobre “Eu não sei quando aprendi a te amar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s