Sobre colocar o pingo nos is e a Teoria da Relatividade

   
Quando há mais de cem anos Einstein afirmou que o tempo e o espaço estão entrelaçados mas também são relativos, o mundo passou a conhecer a Teoria da Relatividade. Aprendemos nas aulas chatérrimas de física que ainda que estejamos parados, estamos nos movendo na dimensão do tempo. E ainda que você não entenda bulhufas sobre a teoria (a qual eu também não entendo), você não precisa ser muito esperto para saber que o tempo não para. O tempo não espera por você. 

O que Einstein não explicou – mas que a vida se encarregou de nos ensinar – é que tudo na vida é relativo. O que é muito bom para você pode ser ruim para outra pessoa. E a regra vale até para as excessões mais absurdas. 

Mas deixa eu ir direto ao ponto e colocar o pingo nos “is”…

Em três anos de blog o que mais me estimula a escrever é receber o retorno das pessoas que passam por aqui e ter de certa forma uma conexão com quem eu nunca encontrei mas que por ser meu leitor acaba se tornando um amigo. Só que eu preciso dar uma chacoalhada em um certo tipo de leitor: aquele que me pede respostas as quais eu jamais poderia dar.
Certa vez eu escrevi um texto sobre a minha aversão em dar conselhos. Sim, existe uma grande diferença entre dar dicas e dar conselhos. E eu posso gastar horas dando dicas sobre mil coisas diferentes. Faço com o maior prazer. Contudo, a não ser que você seja uma amiga me pedindo conselhos sobre a vida amorosa ou sobre o sapato que melhor combina com o vestido laranja, eu não vou me sentir a vontade para te ajudar. Porque eu ainda não aprendi a aconselhar as pessoas a tomarem decisões que irão mudar para sempre as suas vidas. 

Quando eu decidi me mudar para Toronto eu havia terminado um noivado há pouco tempo, já havia me formado e estava concluindo uma pós graduação, tinha um trabalho do qual eu gostava, um relacionamento maravilhoso com a minha chefe e toda a equipe com a qual eu trabalhava, havia acabado de trocar de carro, enfim, a minha vida não estava de cabeça para baixo, mas eu não estava feliz. Eu sempre soube o que faltava, mas eu seguia empurrando o meu sonho com a barriga e adiava a minha chance de ser feliz por completo. 

Conversei com os meus amigos, com a minha família, contei sobre os meus planos e, claro, ouvi a opinião de cada um. O que eu nunca fiz foi pedir para quem já havia vivido o mesmo sonho que o meu me dizer se valia a pena. Não porque eu sou teimosa e faço tudo o que quero, e sim porque eu acredito na Teoria da Relatividade. Não só na comprovada por Einstein, aquela de que o tempo não para, mas na teoria de que TUDO na vida é relativo e que foi comprovada por mim através da minha experiência. E eu poderia ouvir de alguém “Ah, não larga tudo ai no Brasil porque não vale a pena” e viveria o resto da minha vida com a dúvida e a tristeza de não ter feito o que eu gostaria de fazer. 

Cada pessoa tem uma história de vida diferente, um estilo de vida diferente e, principalmente SONHOS DIFERENTES. Eu não posso te dizer que a vida aqui é perfeita e que você deve fazer tudo o que eu fiz porque eu não tenho o direito de definir o seu destino. Eu não posso comparar o meu conceito de felicidade com o seu porque eu não sei se você ficaria extremamente feliz só em ter um pote de sorvete na sua frente. Eu fico. 

Eu gostaria muito de poder ajudar àqueles que me perguntam se devem ou não vir morar no Canadá, mas se você espera por uma resposta do tipo “Faz as malas e vem embora” eu não vou poder te dar. Até porque a maioria daqueles que pedem esse tipo de conselho sabem bem o que eles querem. O que falta nessas pessoas é coragem para aceitar a decisão. 

Tenha coragem. Esse é o único conselho que eu posso te dar. E é o que você realmente vai precisar caso decida vir ou se decidir ficar. 

Uma ótima semana para todos! 

Anúncios

9 comentários sobre “Sobre colocar o pingo nos is e a Teoria da Relatividade

  1. Oi Aritta, descobri seu blog por acaso e adoro ele. Moro no Canada tambem e achei seu post muito pertinente. Acho que as pessoas olham somente o que esta atras do muro mas cada um deve saber se deve pular ou nao. Grande beijo, Claudia

  2. Perfeita esta sua reflexão. Concordo plenamente contigo, e acrescento que aqueles que chegam aqui com esta dúvida, de se realmente vale a pena, não aguentarão superar nem o primeiro obstáculo. Além de muita coragem para aceitar a nossa decisão, é preciso força de vontade para fazer a coisa dar certo.

  3. Leila

    Oi Aritta!!!!!! Isso mesmo, na vida, cada escolha que fazemos ficamos vulneráveis sem saber se vai dar certo ou não. Precisamos ser corajosos, positivos e ir à luta, na certeza que tudo vai dar certo. Caso contrário, a gente dá a volta por cima e recomeça !!! Deus esteja contigo menina, abração.
    Leila Flores.

  4. Roberta lucio

    Acredito que cada um tenha noção do que quer ou do que precisa, mas nem sempre tem coragem para abrir mão de algumas coisas para ir em busca de outras, o que vc fala é bem certo, quem não tem coragem não pode pegar um pouco emprestado com alguém rsrs…
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s