Eu só queria mesmo escrever

Os meus traumas, medos e inseguranças me acompanharam (e ainda me rodeiam) por 11 anos. Meus textos – cheios de desabafo e histórias de infância – eram, e continuam sendo, a terapia que eu nunca fiz. Por trás dessa tela, minhas mãos minúsculas tremem ao construir certas frases e, a cada palavra digitada, parecem gritar: eu AMO escrever. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Certos textos possuem uma carga emocional tão grande que vêm acompanhados por uma dor de cabeça terrível. Eu choro enquanto escrevo e depois me sinto leve! Me afundo de cabeça em biografias e memórias, pois quanto mais leio sobre outras pessoas, mais aprendo sobre mim mesma… e mais vontade tenho em compartilhar as minhas histórias. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Não lembro o momento exato em que passei a apreciar o que eu nunca havia enxergado antes: dentro de mim há uma mulher gigante, observadora, ousada, talentosa e inquebrável. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Talvez tenha sido dentro de um abraço ou após aquele obrigada de uma amiga que me ligou pra desabafar. Pode ter sido anteontem, enquanto lia uma carta que a minha mãe me escreveu quando eu ainda era miúda. Ou foi durante aquele banho, depois de terminar um livro super triste, no qual agradeci por cada pedacinho saudável e cada dobrinha do meu corpo. Ô sorte! ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Todo problema que surgir na sua vida vai ser do tamanho e peso que você o dará. Quanto menos você o alimenta, menor ele se torna. Não é pra ter moral no final da história, nem pra fazer sentido. Eu só queria mesmo escrever. E também queria dizer que apesar de pequena, eu sou gigante. Quanto mais eu me convenço disso, menor se tornam os meus problemas. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Tente fazer o mesmo! Bom dia! 💙

Anúncios

Feliz aniversário, meu Marquinho

O nosso time nem sempre jogou bonito. Houve faltas, contra-ataques sem estratégia alguma, muita bola fora e péssimas cobranças de escanteio.

Éramos dois jogadores com posições, línguas e táticas completamente diferentes. A gente não se entendia. Lembra da nossa dificuldade em jogar bonito?

Em quase seis anos de história, são mais de duas mil partidas.

Tá certo que nem sempre dividimos o mesmo campo. Foram tantos cartões vermelhos e expulsões que eu nem consigo contar.

Lembro bem da época na qual sentamos no banco de reservas e até jogamos em times diferentes. Doeu mais do que aquele 7X1.

Amadurecemos, evoluímos, melhoramos a nossa técnica, nos demos mais uma chance. Voltamos a vestir a mesma camisa, dessa vez menos preocupados em marcar gols e mais comprometidos em melhorar a nossa harmonia em campo.

Aprendemos a antecipar os chutes um do outro. Eu mal toquei na bola com meu pé canhoto e você já está lá pra receber o meu passe.

A nossa história é tão linda quanto a comemoração de Bebeto ao marcar o gol na copa de 94; é tão linda quanto o pênalti perdido por Baggio naquela mesma copa; tão linda quanto os gols de Ronaldo na final de 2002. Somos penta e em breve seremos hexa! Mais de cinco anos de história…

O nosso time pode não ser o melhor, mas é cada drible lindo que a gente dá nessa vida, né? Te amo 💛