Voltarei, eu prometo! 

  
Tá certo. Admito que tenho me ausentado demais por aqui. Eu sei que tô devendo umas visitas há tempos e que uma blogueira que se preza não pode se afastar assim do seu blog. 

Só que eu faço de propósito. Nem sempre, mas quase sempre. Estou na reta final do meu curso de Marketing e tive que pegar oito matérias para me formar em abril (eu tava na Ásia quando eles abriram as matrículas, me matriculei com atraso e uma das matérias não tinha vaga). Tá complicada a minha rotina. 

Pedi demissão da Starbucks só para focar no College e assim ficou “mais fácil”. Entre aspas pois eu ganhei mais tempo e perdi dinheiro… Porém, vamos focar a conversa nos estudos, pois falar de dinheiro neste momento me entristece hahaha 

Eu só queria avisar pra quem me segue por aqui que, apesar de não estar postando textos, continuo bem ativa no  Instagram e lá eu posto diariamente fotos da minha rotina, dos meus lugares preferidos, comidinhas e – lógico – selfies desnecessárias. Então passa lá se por acaso der saudade! 😀 

Voltarei a desabafar aqui no blog em breve. Prometo!!! E enquanto eu me escondo embaixo dos livros e por detrás de um sorvete delicioso de framboesa com chocolate branco em formato fofo de coração, continuo pensando com carinho naqueles que me enviam mensagens, os que sempre checam se tem algo de novo por aqui e os que me pedem para retornar. Volto jajá! Não me abandonem, não…

Beijo grande,

Aritta 

Anúncios

O colorido da Arte de Rua em Toronto 

Eu não sei vocês, mas eu amo arte de rua. Quem me acompanha no Instagram vê que eu estou sempre postando paredes e muros coloridos. Adoro passar por ruas que tenham grafites e pinturas e estou sempre pesquisando espaços com intervenções artísticas. De vez em quando eu pego o metrô, ônibus ou streetcar e saio em busca das famosas paredes coloridas. 

Se você, assim como eu, é do tipo que adora murais e grafites, prepare as pernas e tenha sempre a câmera (ou o celular) em mãos, porque existe sim, MUITA arte de rua em Toronto. 

E eu resolvi reunir em um post os meus locais preferidos para explorar o mundo dos grafites e das pinturas em paredes da cidade. Afinal, antes ARTE do que nunca, né? 🙂 

Kensington Market 

Um dos redutos preferidos dos hipsters e artistas de Toronto. Há arte espalhada por toda a área do Kensington Market que abrange o norte da College St., Spadina Ave ao leste, Dundas St. ao sul e oeste da Bathurst. 

Big Fat Burrito no Kensington Market
Beco no Kensington Market
Grafiteiro Angel Carrillo no Kensington Market

No verão é comum encontrar um artista bem no meio do seu processo criativo. 

Aproveite para explorar as galerias, lojinhas e bares da área. Há muita coisa bacana para se ver no Kensington Market. 

Graffiti Alley 

Localizado no chamado Fashion District   de Toronto, no meio da famosa Queen Street West, o Gaffiti Alley consiste em um quilômetro de muros com intervenções vibrantes e cheias de expressão.  
 

Graffiti Alley, um dos meus favoritos

Os grafites começam ao sul da Queen Street West, entre a Spadina Avenue e a Portland Street. 
Todos os anos, durante o verão, um grupo chamado Style in Progress, com a autorização da prefeitura, passa 24 horas no local para criar novos grafites. 
 
Graffiti Alley na Spadina com a Portland
 
Um tesouro para os amantes da arte de rua

Queen Street West

 

Sim, Toronto é o paraíso!

Você já sente o cheiro de arte a partir do momento em que pisa na Queen Street West, outra rua bastante frequentada pelos descolados e ligados em arte e design em Toronto. Não é a tôa que o local é chamado de Art and Design District. 
Em meio às lojas de grandes marcas como Zara, H&M e GAP, a Queen St. abriga preciosidades como brechós, lojas com decorações modernas, estúdios de tatuadores famosos, livrarias, além de bares e restaurantes cheios de charme. 

Campanha da Koodo em um muro da Queen Street West

Como citei um pouco acima, é lá onde fica o Graffiti Alley. Porém, há outros murais espalhados pela área como esse acima, criado pelo artista Mike Perry para a campanha “Choose Happy” da companhia de telefonia Koodo. E também o “This is Paradise”, um dos preferidos dos turistas. 

Alexandra Park 

Esse parque fica bem próximo à minha casa e eu sou apaixonada pelo muro enorme e colorido de um grafite que chama a atenção de todos que passam pelo local. Pesquisei sobre a obra de arte e descobri que foi realizada pelos grafiteiros Elicsr, bem conhecido pelos amantes da arte de rua e por Troy Lovegates “Other”, que nasceu em Toronto, mas atualmente mora em  São Francisco, Estados Unidos. 
 

Tem como não se apaixonar por esse muro?
 

Regent Park

Essa área eu descobri por um acaso, quando conferia o trabalho de alguns grafiteiros no instagram. Um dos grafites me chamou a atenção e acabei por descobrir que a dupla de artistas era formada pelo brasileiro Bruno Smoky e a chilena Shalak Attack. 

 

Um dos meus preferidos até hoje
 

Infelizmente havia uma construção bem em frente ao mural e eu não pude tirar uma boa foto dele inteiro… Mas consegui uma meio de lado e dá para vocês verem como a dupla é talentosíssima. 

O mural fica na lateral de um prédio na Sumach St. com a Dundas

Foi nessa área também que eu me apaixonei pela exposição Faces of Regent Park do artista Dan Bergeron. 

Faces of Regent Park

São 12 imagens em 6 painéis grandes, retratando a diversidade dos moradores da comunidade. Achei o trabalho incrível e, após descobrir que as fotos retratavam pessoas que ali vivem, fiquei ainda mais encantada.   

Amei a ideia do artista em retratar moradores

Faces of Regent Park
 
Painéis fotográficos no Regent Park
 

O parque fica no lado leste da cidade, um pouco afastado do burburinho do centro e não há muito o que fazer ao redor. Mas o centro comunitário tem servido de espaço para diversas intervenções artísticas, ganhando o colorido dos murais, grafites e painéis fotográficos. Vale a pena conferir. 

Ossington Lane Way 

Grafite feito pela artista Erica Balon, conhecida como EGR

O Lane Way Art Project fica próximo a intersecção da Ossington e Queen St. West. Eu passei a frequentar bastante a área depois de me apaixonar por uma sorveteria que fica por ali. Depois, decidi explorar as lojinhas da redondeza e me encantei com alguns “achados” que você jamais encontra em shoppings e lojas tradicionais. 

O projeto de transformação da viela em uma galeria pública de arte foi realizado em 2012 e envolveu 20 artistas locais, alguns já renomados e outros que ainda estavam aprendendo a grafitar. 

 

Grafite criado por Li-Hill
 
Arte criada por Troy Lovegates
 
Traços fortes e cores vibrantes enfeitam a viela

A maioria dos grafites foi feita em portas de garagens e paredes do fundo de alguns estabelecimentos comerciais. 

 

Autor Patrick Thompson
 
  

Mais arte por aqui

Por Elicsr e Erica Balon (EGR) na Victoria com a Shulter St.
Roncesvalles , autoria desconhecida
Roundhouse Park

Ossington e Queen St. West
 
  

Almost there, Aritta! 

Toronto Harbourfront

Vim aqui para compartilhar essa foto linda e mostrar mais uma vez o porquê do meu amor por essa cidade. Eu sou tipo mãe coruja, namorada apaixonada, melhor amiga, sabe? Toronto é linda, é a melhor e ponto final. E ai de quem disser que não! Hahaha 

E sabe o que mais? Amanhã é o último dia de provas na facul e depois disso eu vou poder perambular pela cidade, do jeito que eu amo. Mal posso esperar!

E, por falar em amanhã, vou aproveitar o embalo da conversa e pedir que vocês cruzem os dedos, façam uma corrente positiva, rezem para um milagre, rezem pro padroeiro da contabilidade (se é que tem um) e me desejem boa sorte.. Pois eu vou precisar de tudo isso quando tiver fazendo a prova de amanhã. 

Recebi ontem a minha média final em Matemática Financeira e passei com 90. Orgulho de mim pois eu ralei MUITO! Agora me expliquem… A pessoa aqui não sabia nada, nem álgebra lembrava, mas perdeu noites estudando e aprendeu tudinho de matemática. Dai ela descobre que vai ter contabilidade e pensa “Vai ser moleza, tô craque com os números, acho até que vou desistir do blog e dar aulas de matemática”. Só que uma coisa não tem naaaada a ver com a outra. Primeira prova de contabilidade: 30 de 100. Se desespera, chora igual adolescente que não quer terminar o ensino médio, quer desistir da matéria, mas lembra que deu a volta por cima em matemática, lê mil frases de superação, ouve dos amigos que depois melhora e então decide não desistir e estudar muito para recuperar. Então, aqui estou eu, ao final do curso! E se vc esperava eu dizer que “me superei e aprendi tudo” se enganou. Continuo sem saber bulhufas de nada. E só mesmo um milagre pra me ajudar amanhã. 

Mas, deixa eu parar de bater papo e voltar a estudar porque a esperança continua sendo a última que morre, né? 

Quase lá, Aritta, quase lá…. 

🙂 

Muito obrigada! 

 Nos últimos três dias a minha montanha-russa, aquela que descrevi no meu último post, tem funcionado em uma velocidade absurda. A cada nova visita ao blog o meu coração acelera, dou pulos de felicidade, tento responder cada mensagem, cada palavra de carinho que vocês enviam, curto todos os compartilhamentos possíveis e vou dormir com vontade de já acordar para ler mais mensagens e ver mais e mais gente compartilhando o meu texto. 

Também chorei. E não foi só de felicidade. Chorei quando cheguei lá topo, no final do dia, após ver o meu sonho de ter um dos meus textos se espalhando pelo mundo inteiro se tornar realidade. Tive medo, receio, não sei bem ao certo. Não parava de pensar: e agora? Como vou continuar escrevendo sem desapontar as milhares de pessoas que passaram a  conhecer o blog? Não é todo dia que um texto escrito em meia hora vai agradar uma multidão. Quis ficar lá em cima, paradinha, observando por horas tudo que está acontecendo. Então reli algumas mensagens dos amigos e outras enviadas por gente que eu não conheço, gente que não precisava, mas ainda assim dedicou um pouquinho do seu tempo para me enviar um elogio. Não massageia só o ego, massageia também o orgulho que sinto de mim mesma, a minha auto-estima. Isso eu admito sem vergonha ou modéstia…massageia o coração. 

Vou continuar escrevendo. Sem medo de não agradar novamente. Porque escrever me acalma. Me ajuda a organizar os pensamentos, a me entender melhor, a interpretar as minhas emoções. Eu escrevo porque não tenho paixão maior. Escrevo principalmente porque sei que escrevendo e compartilhando os meus textos, de alguma forma estou ajudando alguém. Seja com uma informação, com uma história da minha vida, com uma dica, com os meus paradoxos e com a minha mania de achar que podemos sim espalhar o bem por ai. Eu sei que não vou mudar o mundo, mas eu posso ajudar a mudar quem habita nele. 

Obrigada pelas quase 30 mil visitas em apenas 3 dias, pelos mais de 10 mil compartilhamentos no Facebook e pelas mensagens lindas. 

Tenham uma ótima semana!

🙂

Aritta 

Seja bem-vinda, Primavera 

Gente, como assim eu postei mais cedo no blog e esqueci de mencionar um detalhe importantíssimo? Hoje começa a primavera no hemisfério norte! Aeeeeeeee!!! Finalmente, depois de dias frios que mais pareciam intermináveis, a estação das flores chegou. Pode até não tá tão quente, mas eu já cheguei num ponto em que qualquer coisa acima de 0 graus já é digno de comemoração. 

O início da primavera é também quando ocorre o equinócio (lembram das aulas de Geografia?) e os dois hemisférios posicionam-se igualmente em relação ao sol, recebendo a mesma quantidade de luz. Com isso o dia e a noite têm a mesma duração. 

Bom, deixando essa aula sobre equinócio de lado, porque eu bem sei que vocês não devem tá muito interessados nisso, vamos ao que interessa: hoje temos 4 graus, isso mesmo, QUATRO graus positivos. Tirei uma foto agorinha, às 6:30 da noite para mostrar como os dias já começam a ficar mais longos. 



A primavera já chegou linda



O lago Ontario está descongelando

Foi um presente para a minha pessoa ir caminhar na orla e ver esse dia lindo quando voltava do College, depois de uma aula chatérrima de contabilidade. Agora, dá licença que eu vou ali tomar uns drinks porque eu acabei de decidir que mereço relaxar um pouquinho. 

Beijocas 🙂 

Foto do dia: CN Tower de uma outra perspectiva 



Bom dia!! Na verdade, boa madrugada, já que são 4 da manhã. 

Acordei um pouco mais cedo do que o previsto e resolvi compartilhar com vocês esta foto, tirada ontem pela manhã, quando eu caminhava pelo centro da cidade. Queria mostrar uma forma diferente de fotografar a CN Tower, que aparece em forma de sombra em um dos prédios. 

A torre é linda de todos os ângulos e perspectivas, não é mesmo? 

Uma ótima semana para todos! 

🙂